.:: PT | EN ::.  
Qualidades funcionais, dietéticas e terapêuticas

HISTÓRIA
Originários da América do Norte, Ásia e Europa Central, os mirtilos têm sido consumidos pelo homem desde tempos pré-históricos. Em Portugal, encontram-se em regiões onde o Inverno é muito rigoroso, como a zona do médio Vouga.
Existem mais de 30 espécies que crescem em regiões distintas e centenas de diferentes variedades. Os mirtilos cultivados têm um sabor ligeiramente doce e os selvagens são mais adstringentes.

INTERESSE NUTRICIONAL
Excelente fonte de flavonóides, especialmente antocianinas, que lhe dão a típica cor azulada, vitamina C, fibra solúvel e insolúvel, como a pectina. Também muito ricos em taninos, vitamina E, manganésio e riboflavina.

EXCELENTES PARA A NOSSA SAÚDE
O mirtilo é a fruta que tem mais anti-oxidantes, tem uma elevada quantidade de Polifenóis tanto na pelicula como na polpa, vitaminas e sais minerais.
O mirtilo é rico em vitaminas A, B, C, E e K, têm uma gama diversificada de minerais, Cálcio, Ferro, Magnésio, Fósforo, Potássio, Zinco, Selénio, Magnésio, Pectina, Tanino, ácidos cítrico, málico e tartárico. De salientar os altos níveis de Magnésio, mineral essencial na dieta humana. Quando ocorre a maturação do fruto, dá-se uma diminuição do teor em clorofila e aumenta o teor em Antocianinas e açúcares, fazendo com que a cor mude de verde para azul. As Antocianinas são pigmentos naturais que têm propriedades antioxidantes e às quais se atribuem uma série de benefícios para a saúde, valendo ao mirtilo denominações tais como "Rei dos Antioxidantes", "fruto da juventude", "fruto da saúde" ou "fruto da longevidade".
O mirtilo tem propriedades de anti-séptico, anti-diarreico e anti-hemorrágico.
Anti-envelhecimento: combate os radicais livres.
Vaso Dilatador: melhora a circulação sanguínea, sendo indicado para os casos de varizes, hemorróidas e outros problemas circulatórios.
Anti-inflamatório: indicado no tratamento de edemas, artrites e artroses. O mirtilo tem compostos que ajudam a prevenir e a tratar as infecções no aparelho urinário (Rutgers University NJ).
Aparelho Digestivo: Os mirtilos são ricos em fibra, o seu consumo ajuda a regular o trânsito intestinal e reduz as inflamações do aparelho digestivo.
Reduz a Taxa de Açúcar no Sangue: indicado para diabéticos.
Actua em casos de diarreias graves.
Indicado para acção local no alívio de inflamações na boca e catarros.
Já foi muito utilizado contra febres. É atribuída à mirtilina a acção antibacteriana.
Trabalha bem na restauração da pequena circulação e por isto é usada em retinopatia diabética, falta de perfusão renal, pé diabético, etc.
Anti-oxidante: O mirtilo supera os vegetais, é o fruto que contém mais anti-oxidantes, consistem num grupo de vitaminas, de minerais e de enzimas. Os anti-oxidantes neutralizam os radicais livres que atacam e prejudicam o nosso sistema imunológico conduzindo a muitas doenças. Os radicais livres aparecem quando estamos expostos a uma variedade de substâncias tais como a radiação, produtos químicos, poluição, fumo, drogas, álcool e alimentação desequilibrada. Os anti-oxidantes previnem doenças cardiovasculares, vários tipos de cancro, atenuam os processos associados ao envelhecimento, como cataratas, doença de Alzheimer e outras alterações do sistema nervoso central.
Reduz o Colesterol: Não se encontra no mirtilo sódio nem colesterol, tem baixo teor calórico e de açúcares, é rico em fibra, beneficiando a regulação intestinal. Pela ausência de sódio e colesterol, é indicada em dietas para hipertensão arterial e prevenção de doenças cardiovasculares. A sua pele contém, tal como a uva vermelha, níveis significativos de Resveratrol (Polifenóis) e Antocianinas, um polifenol que pode ajudar a baixar o nível de mau colesterol (LDL), este polifenol é mais eficiente que muitos medicamentos prescritos pelos médicos. Previne enfartes e males cardíacos, cancros, infecções urinárias, de laringe e de boca, formação de Glaucomas, vista cansada e cegueira nocturna.
Neurologia: Num simpósio realizado em 2007, sobre benefícios do mirtilo para a saúde, os relatórios mostram que o consumo de mirtilos pode atenuar o declínio cognitivo que ocorre na doença de Alzheimer e outras condições de envelhecimento (npicenter.com). Estudos laboratoriais levaram a concluir que os mirtilos melhoram a memória e a coordenação motora afectada por doenças degenerativas, protegendo o cérebro dos efeitos de deterioração cerebral associados à doença de Alzheimer e por acção do envelhecimento, como perda da memória a curto prazo. São excelentes antídotos para a depressão.
Visão: O mirtilo melhora a visão, diversos estudos documentaram que os mirtilos têm concentrações muito elevadas de antocianina, um composto normalmente vinculado com prestações que melhoram a visão nocturna e reduzem a vista cansada. Os mirtilos protegem contra a degeneração relacionada com o envelhecimento das vistas, são excelentes para prevenir cataratas e retinopatias dos diabéticos. Possui um valor nutritivo indiscutível utilizado em marmeladas, talvez seja esta razão por ajudar a melhorar a visão nocturna, devido à presença destas vitaminas. As suas folhas também podem ser utilizadas para fazer chá de mirtilo, rico em propriedades medicinais.

Os mirtilos podem ser consumidos em fresco ou misturados com leite, cereais ou açúcar, estimulando as segregações gástricas e intestinais, fundamentalmente do pâncreas. A abundância em antocianinas dos mirtilos faz com que tenham um efeito saudável contra as diarreias, além de actuarem como anti-inflamatórios e antissépticos, pelo que são vantajosos contra determinadas doenças gastrointestinais.


início | saúde

© 2013 Mirtilusa, Lda.